O Futuro do eSocial

  • por
O Futuro do eSocial

Reajustes no layout, redução das informações solicitadas, fim ou evolução do sistema atual. Afinal, qual o Futuro do eSocial?

O eSocial já faz parte das rotinas trabalhistas das micro, pequenas, médias e grandes empresas brasileiras. Para aperfeiçoar este formato online de prestação de informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, o Comitê Gestor do eSocial tem agora um desafio: simplificar o projeto.

O Auditor Fiscal do Trabalho, criador e entusiasta do projeto eSocial José Alberto Maia traz ao 1° Encontro Gaúcho de Profissionais de Departamento Pessoal notícias atualizadas sobre o futuro do eSocial.

Palestrante José Alberto Maia

Com quase trinta e cinco anos de carreira, José Maia é graduado em Ciência da Computação e Direito, e hoje coordena o Grupo Especial de Trabalho para o desenvolvimento do Projeto eSocial no âmbito da Secretaria do Trabalho no Ministério da Economia.

Divisor de águas

Para ele, o eSocial é um divisor de águas no mundo do trabalho, contribuindo para a melhoria dos ambientes de trabalho e de negócios no país.

“O eSocial é um projeto grandioso que tem por objetivos garantir de forma mais efetiva os direitos dos trabalhadores, simplificar a vida das empresas e melhorar a qualidade das informações prestadas ao fisco”.

Em paralelo, o eSocial também impacta o trabalho de fiscalização do governo. “O principal benefício para a fiscalização é a sua cobertura. Uma vez que todas as empresas estarão obrigadas ao eSocial, teremos uma informação mais abrangente de todo o universo de empresas. Também devemos ressaltar como vantagens a unicidade da informação, assim como a melhoria de sua qualidade”.

Transparência

Desde que começou a ser implantado em 2018, o sistema vem sendo avaliado e ajustado, mas, ainda é comum que as empresas tenham dúvidas sobre as demandas do programa. Para ajudar os gestores, José Maia explica que “a ideia é que a prestação da informação seja quase que transparente para as empresas, por meio de um procedimento totalmente aderente a seus processos, e que seja possível a prestação dos benefícios aos trabalhadores e segurados de forma muito mais rápida e eficiente”.

O entrevistado alerta que “o eSocial é um sistema que demanda que as informações que estão sendo prestadas estejam consistentes. Em função disto, é fundamental que as empresas estejam seguras de que elas estão corretas e devidamente saneadas antes de seu envio ao fisco. O melhor momento para corrigir os erros nestas informações é realmente antes do seu envio ao fisco. Neste sentido, é muito importante que se faça um estudo minucioso das informações que constam hoje na empresa para que os problemas não apareçam apenas no momento da implantação do eSocial”.

Empresas preparadas para o Futuro do eSocial

O projeto busca a maturidade no ambiente governamental, nos sistemas de folha de pagamento, nos processos e rotinas trabalhistas e principalmente nos próprios profissionais envolvidos.

“A implantação do projeto tem sido feita de maneira cautelosa e levado em consideração a capacidade de adaptação de cada empresa. Sabemos do impacto da implantação de um projeto desta magnitude nas empresas, sobretudo naquelas menores. Por isto, temos adotado um cronograma de implantação diferenciado em função do porte das empresas e de sua capacidade de adaptação ao novo modelo de prestação de informação ao fisco. Mas, de maneira geral, podemos afirmar que as empresas estão sim preparadas para o eSocial”, acredita José Maia.

1º Encontro do novo Comitê Gestor do eSocial

Em junho deste ano, representantes das organizações responsáveis pelo Projeto eSocial reuniram-se em Brasília para traçar os primeiros passos do projeto de simplificação. Layouts dos eventos do eSocial foram revisados, com o objetivo de eliminar informações redundantes ou já existentes nos bancos de dados dos órgãos do Comitê. Também foram pauta do encontro melhorias nos módulos web e na usabilidade do eSocial como um todo. Outra medida das mais aguardadas foi a prorrogação de alguns prazos de obrigatoriedade do eSocial.

“Recebemos uma demanda muito clara do Ministro Paulo Guedes para diminuir o número de informações solicitadas pelo eSocial e para simplificar ao máximo os processos das empresas. Os estudos estão sendo concluídos e em breve serão publicados os novos leiautes do sistema”, revela José Maia.

Futuro do eSocial

De acordo com ele, “o maior desafio hoje para o desenvolvimento do eSocial, sem dúvida, tem sido a boa comunicação do projeto. Ainda hoje, muita gente, inclusive do próprio governo, desconhece o projeto e não consegue ver suas vantagens e benefícios”. Entretanto, ao contrário de recentes discursos sobre o fim do eSocial, o projeto não vai acabar, e sim evoluir.

“O projeto já está praticamente implantado e devidamente absorvido pela sociedade. Acredito que haverá uma boa simplificação e diminuição de seu escopo, e provavelmente a mudança de seu nome, mas não acredito que o eSocial venha a ser de fato extinto”, acredita José Maia.  

Atualização, informação e networking no 1° ENGDEP

É preciso estar preparado para uma transição tranquila e correta para o eSocial. Tire suas dúvidas sobre o eSocial e outros temas, trocando experiências e fazendo conexões no “1° Encontro Gaúcho de Profissionais de Departamento Pessoal”

FIQUE POR DENTRO

Fique atento. As inscrições online para o 1° ENGDEP seguem abertas, mas, as vagas são limitadas. O evento acontece dia 10 de outubro de 2019, no AIAMU, em Porto Alegre, das 8h às 18h30.

O maior Encontro Gaúcho de Profissionais do Departamento Pessoal

Conhece alguém que tenha interesse em participar? Compartilhe o Evento!!

Deixe uma resposta